História

O clube das “camisolas esquisitas”
11 Março, 2017 /

Campeão português em 2000/01, o Boavista tem uma história de mais de 100 anos. Fundado por britânicos, chamou a atenção nos anos 90. O equipamento axadrezado levou a que ficasse conhecido em Itália como “o clube das camisolas esquisitas”.

Os ingleses, que devido aos negócios do Vinho do Porto tinham uma grande comunidade na cidade, introduziram o futebol no Porto. O The Boavista Footballers foi fundado em 1903, mas poucos anos depois, um desentendimento quanto aos dias em que se deveriam disputar os jogos – os portugueses preferiam o domingo, os britânicos queriam jogar ao sábado – fez com que os súbditos de Sua Majestade deixassem o clube.

Já como Boavista Futebol Clube, teve um grande crescimento ao longo das décadas seguintes. O ponto alto seria a conquista do campeonato português em 2000/01, mas a participação nas provas europeias já acontecia há alguns anos. E foi em 1991/92 que, durante uma eliminatória da Taça UEFA com o Inter de Milão, surgiu a alcunha de “clube das camisolas esquisitas”, numa referência ao equipamento preto e branco axadrezado.

O Estádio do Bessa, remodelado para o Euro 2004, tem um museu com a história do clube, um passeio da fama e duas esculturas da autoria de José Rodrigues em que a pantera, símbolo do clube, está em destaque.

Associação Comercial do Porto – 181 anos de História
6 Março, 2017 /

Embora tenha sido oficialmente fundada em dezembro de 1834, a Associação Comercial do Porto tem origem que remontam ao século XII, altura em que o comércio e os comerciantes, sobretudo nas zonas costeiras, vão ganhando mais poder.

Ao longo dos séculos, devido à sua localização privilegiada e ao espírito empreendedor das suas gentes, a cidade do Porto adquire grande relevância, tornando-se numa importante praça financeira na Europa e no mundo. É nesta fase que surge a Bolsa Comum, criada pelos mercadores para cobrir riscos e prejuízos do envio das suas encomendas. Esta Bolsa foi confirmada em 1295 por D. Dinis e em 1402 por D. João I.

No entanto, até 1834 não existia qualquer organização de comerciantes com personalidade jurídica e capaz de dar resposta às necessidades dos empresários locais. Nesta altura, as reuniões, troca e recolha de informações, negócios e leilões tinham lugar na Juntina, situada na então Rua dos Ingleses. Após a revolução liberal de 1822 e a promulgação do Código Comercial, a Juntina foi a base da constituição da Associação Comercial do Porto, que é atualmente segunda Câmara de Comércio e Indústria mais antiga em Portugal Continental.

31 de janeiro de 1891 – Uma revolução que terminou em sangue
3 Março, 2017 / ,

A 31 de janeiro de 1891 teve lugar, no Porto, a primeira tentativa de implantação da República. Descontentes com a crise económica e com um Ultimato lançado pelos britânicos, que punha em causa a presença portuguesa em África, um grupo de influentes homens do norte comandou dezenas de soldados, em direção ao centro da cidade, com a intenção de tomar a estação de correios e telégrafos e implantar a República. Acabaram por ser travados pela guarda municipal, fiel à Monarquia e colocada na escadaria da Igreja de Santo Ildefonso.

A República chegou a ser proclamada na varanda dos Paços do Concelho, que seria o último reduto dos revoltosos. Os que não morreram na batalha acabariam por ser levados para navios fundeados em Leixões. Outros conseguiram fugir para o estrangeiro. A República só seria implantada em 1910.

A memória desta data permanece ainda hoje na toponímia da cidade, com a Rua 31 de Janeiro, na Baixa do Porto, bem como nas ruas que têm os nomes dos autores dessa revolução frustrada: Alves da Veiga, Rodrigues de Freitas ou Alferes Malheiro.

Fonte: O Tripeiro (Série Nova) Ano X número 1