Atualidade

Oferta multidesportiva no mais eclético dos clubes
1 Abril, 2019 / ,

Um clube eclético que representa Porto e Portugal com 115 anos de vida e muitos mais ainda para honrar o seu passado.

Quando em 1904, José Marques Barbosa e José Meirelles, dois jovens remadores se lembraram de formar um clube, nunca imaginaram que volvidos todos estes anos o centenário Sport Club do Porto tornar-se-ia num dos mais ecléticos emblemas nacionais, com equipamentos desportivos numa e outra margem do rio Douro que o viu nascer e em diversos municípios.

É esta dispersão territorial e de equipamentos, aliada à vasta oferta ao nível das modalidades – andebol, culturismo, dança, desporto adaptado, desporto automóvel, esgrima, fitness, futebol, ginástica, halteres, hipismo, hóquei em campo, náutica de recreio, rugby, padel, patinagem artística, ténis, vela e voleibol –, que fazem do Sport um caso ímpar no desporto, mas também ao nível da promoção turística.

Da Marina do Freixo ao Centro de Vela, em Leça da Palmeira, do Centro de Remo em Gaia ao Centro Hípico na Prelada, não faltam as mais variadas valências para quem procura nesta área metropolitana muito para além dos habituais roteiros turísticos, que complementado com a sua vasta oferta na Vila Desportiva do Sport, no Parque da Cidade, torna o nosso clube num ‘anfitrião’ de excelência, com equipamentos sem paralelo e em tão grande escala em todos estes municípios por onde se distribui: Gaia, Matosinhos e Porto.

Toda esta oferta ao nível de equipamentos tem também implícita uma história desportiva sem paralelo de 115 anos, traduzida em muitos títulos nacionais nas mais diversas modalidades e constantes presenças de alguns dos nossos mais brilhantes atletas em Campeonatos da Europa, Taças do Mundo, Campeonatos do Mundo e Jogos Olímpicos.

Entre os muitos nomes que passaram pelo Sport, recordamos com orgulho o cineasta Manoel de Oliveira que muito antes de ser uma personalidade incontornável do cinema mundial foi atleta do Sport nas mais diferentes modalidades. Para além de ter sido triplo campeão de salto à vara e piloto de automóveis, foi juntamente com o seu irmão Casimiro trapezista na nossa primeira companhia de circo.

É assim o Sport, em que a para além da vertente desportiva tem tido um papel sem igual na formação de sucessivas gerações de jovens que habitam esta área metropolitana ou que em dado momento da sua vida académica também passaram pelo Porto.

Exposição Escher na Alfandega
29 Março, 2019 / , , ,

O Hey Porto falou com Frederico Guidiceandrea, um dos curadores da exposição e um grande especialista da obra de M.C. Escher

– O que pode o público esperar desta exposição no Porto?

Esta exposição cobre toda a carreira artística de MC Escher, começando pelos seus trabalhos iniciais que reflectem a influência do seu professor, Jesserun de Mesquita, um expoente máximo da arte nova nos Países Baixos. Um espaço importante é dedicado ao período italiano, às imagens nocturnas de Roma, às paisagens do sul de Itália e aos estudos da natureza.

Nas zonas seguintes são apresentados os seus trabalhos mais conhecidos: as tesselações, os edifícios impossíveis, as fitas, os sólidos regulares, as superfícies reflectivas e as metamorfoses. A exposição continua com trabalhos esporádicos que MC Escher criou por encomenda tal como bookplates, cartões comemorativos, selos postais e outros.

A exposição termina com um amplo espaço dedicado à Eschermania, onde é demonstrada a influência de MC Escher na iconografia dos séculos 20 e 21. Capas de livros, posters psicadélicos, capas de LPs, banda desenhada, revistas, clips de vídeo e trabalhos de artistas contemporâneos inspirados em MC Esher.

Ao longo da exposição uma série de jogos experimentais trazem o público ao mundo de MC Escher. É possível experienciar os paradoxos da percepção codificados pelas leis de Gestalt e entrar fisicamente em algumas obras do artista.

– Como define a arte de Escher?

A arte de Escher pode ser interpretada por camadas. À primeira vista o espanto prevalece, e depois ao observar mais profundamente poderá descobrir mais e mais detalhes: paradoxos de percepção, estruturas matemáticas, referências à paisagem italiana e aos grandes artistas do passado. Todas as vezes que monto esta exposição, apesar de já ter visto as obras centenas de vezes, descubro sempre algo novo.

– Quais são as suas principais referências?

A sua principal influência, especialmente na sua fase inicial, é certamente a arte do seu mentor Jesserun de Mesquita, que foi um importante expoente da arte nova holandesa. Mais tarde em Itália tomou contacto com os expoentes do Futurismo, em particular com um movimento chamado ‘Aeropittura’ que retratava cenas e paisagens de cima com um uso incomum de perspectiva. Nos seus últimos trabalhos a maior influência veio do contacto com o mundo da matemática, especialmente da correspondência que manteve com importantes matemáticos como Roger Penrose or Harlod Coxeter que foi base de muitos trabalhos icónicos.

– Escher é intrigante, perturbador, desconcertante, um verdadeiro génio. Concorda?

Sim, o seu trabalho captura várias tendências da sociedade tecnológica. Teorias científicas modernas tais como a teoria da relatividade ou da física quântica mudaram profundamente a modo como vemos o mundo. O mundo não é como o observamos, numa escala muito grande ou muito pequena pode ser muito contra-intuitivo e paradoxal. MC Escher, através das suas tesselações e estruturas impossíveis, abre uma janela que nos permite ver a complexidade do mundo.

Um porto sempre a festejar
18 Fevereiro, 2019 / ,

Tiago Pinto Leite é um empresário de 50 anos com um currículo de 30 anos na restauração, bares e discotecas. Abriu espaços como Voice Club, Twins foz, River Café, Chic e Stox Club. Colaborou no Indústria Club, Estado Novo, Praia da luz e Cais 447 entre muitos outros.

A cidade é hoje fértil em oferta para uma noite animada. Hoje fica um roteiro mais no centro do Porto, local fervilhante e que ano após ano ganha novos espaços. Aqui fica a minha sugestão para uma noite inesquecível.

Se tem mesa tarde e quer beber um copo antes de jantar, aconselho a que comece pelo BASE. Com vista para a Torre dos Clérigos, é um espaço com jardim e esplanada. No verão a animação nos jardins é grande.

Depois siga então para jantar. E ficam aqui duas sugestões não muito longe uma da outra. O FLOW de cozinha mediterrânea com uma decoração linda e exótica, com um pátio exterior muito bonito. Aconselho pela maravilhosa comida e um ambiente cosmopolita. Ou então o BOA BAO de comida tailandesa e com excelentes cocktails. A sua decoração transporta-nos para um ambiente oriental e com um serviço espetacular. Como não aceitam reservas, convém ir cedo.

Após o jantar nada como ir ao VOGUE Café. Paredes meias com o lindíssimo Hotel Infante Sagres, um espaço com muito charme, decorado pelo conceituado decorador Paulo lobo.

Para começar a ganhar um andamento para a noite a minha sugestão é a CASA DO LIVRO. Um dos bares mais antigos da baixa, com uma decoração muito bonita e acolhedora. Com bom ambiente e costuma ter música ao vivo e ao fim de semana tem sempre DJs. Se preferir Jazz ou Blues a sugestão vai para o Bar HOT FIVE JAZZ AND BLUES CLUB.

 

E para terminar em grande a Discoteca PLANO B – Um espaço com uma decoração muito à frente, com dois pisos, duas áreas distintas com DJs , uma mais pop/ rock / funky e a outra mais música eletrónica. Passam por lá grandes nomes da música eletrónica portugueses e internacionais. É talvez o espaço mais frequentado por turistas!

No fim para recuperar forças vai uma roulotte? Divirta-se na cidade e saiba que há sempre mais para descobrir.

ESSÊNCIA DO VINHO DE REGRESSO
8 Fevereiro, 2019 / ,

Realizado pela primeira vez em 2004, ESSÊNCIA DO VINHO – PORTO é uma organização da Essência do Vinho e Revista de Vinhos, em parceria com a Associação Comercial do Porto que se realiza uma vez mais no Palácio da Bolsa nos dias 21 a 24 de Fevereiro. A última edição do evento recebeu cerca de 20.000 visitantes, 35% dos quais estrangeiros.

Promovido desde 2004, este evento é considerado como a principal experiência do vinho em Portugal, colocando em prova milhares de referencias de todo o mundo e promovendo um programa que inclui dezenas de atividades cuidadosamente planeadas para oferecer uma experiência única a todos os que nele participam, desde os produtores aos profissionais e consumidores

Nesta 16ª edição, os participantes vão poder descobrir e surpreender-se com a prova livre de mais de 3.000 vinhos de 400 produtores, de todas as regiões vitivinícolas portuguesas e internacionais, num dos destaques da programação que permite estabelecer ou desenvolver contactos com os principais intervenientes do setor e conhecer os bastidores da produção.

Serão quatro dias dedicados ao conhecimento e ao despertar de sentidos, com rótulos raros e exclusivos apresentados por especialistas de renome convidados em masterclasses, provas comentadas, harmonizações enogastronómicas, partilha de experiências e degustação de petiscos, numa atmosfera descontraída.

Entre as masterclasses e provas comentadas, destaque para a Grande Prova “TOP 10 Vinhos Portugueses – Revista de Vinhos”, que vai reunir uma seleção dos vinhos mais bem pontuados por um prestigiado júri internacional da Revista de Vinhos no Salão Árabe do Palácio da Bolsa. Constituído por jornalistas, críticos de vinhos e sommeliers, o painel vai eleger os melhores vinhos brancos, os melhores vinhos tintos e os melhores vinhos fortificados.

ESSÊNCIA DO VINHO – PORTO realiza-se dia 21 de fevereiro das 15h às 20h, dias 22 e 23 das 15h às 21h e dia 24 de fevereiro das 15h às 20h, numa organização da Essência do Vinho e Revista de Vinhos, em parceria com a Associação Comercial do Porto. Já é possível a compra antecipada de bilhetes para o ESSÊNCIA DO VINHO – PORTO já está disponível em:

www.essenciadovinhoporto.com/pt/informacoes-uteis.

A entrada de um dia tem o valor de 20€ e inclui copo de provas Riedel.

No local e nos dias de realização do evento, a mesma entrada terá o custo de 25€.

 

As sugestões de Luís Pedro Martins
4 Fevereiro, 2019 / ,

Recentemente eleito Presidente do Turismo Porto e Norte, Luís Pedro Martins é licenciado em Design de Equipamento pela ESAD e pós-graduado em Marketing Management pela Porto Business School da Universidade do Porto.

 

O Hey Porto é hoje uma publicação imprescindível para quem visita o Porto. Como primeiro jornal para turistas veio direcionar as notícias para o target, traduzindo os seus textos, facilitando assim o acesso à informação.

Espero que possam em breve ampliar o âmbito de ação ao resto da região Norte de Portugal. Matéria não lhes faltará certamente, pois estamos a falar de uma das regiões mais belas do país, com experiências únicas, rica em gastronomia e vinhos, património cultural, tradições, natureza e um povo extraordinariamente acolhedor.

Respondendo ao inquérito que me dirigiram é difícil escolher apenas um restaurante da cidade do Porto e considerando as minhas novas funções, permitam-me que, pelo menos, indique mais alguns dos concelhos vizinhos. É importante referir que o Norte de Portugal tem centenas de bons restaurantes, prova disso são os muitos prémios conquistados pelos nossos restaurantes e Chefes, dos quais se destacam as mais recentes Estrelas Michelin.

Restaurantes

No Porto, pela gastronomia regional, sem dúvida a “Cozinha do Martinho”. Numa outra vertente, mais contemporânea, o Flow,  o “DOP”, o “Muda” o “Reitoria” e o “Xico Queijo”.

Em Vila Nova de Gaia o “Zé da Serra” e o “Ar de Rio”, neste último podemos desfrutar da melhor vista sobre a cidade do Porto.

Em Matosinhos, também pela gastronomia regional, “O Gaveto” e “A Marisqueira de Matosinhos”, entre dezenas de outros excelentes restaurantes deste concelho.

Bares

A Casa do Livro, o Hot Five e o Fé.

Locais

Serralves, Casa da Música, Palácio da Bolsa, Torre dos Clérigos, Livraria Lello, Sé Catedral, Paço Episcopal, MMIPO, Look at Porto, Parque da Cidade, Ribeira, Rua das Flores, Pontão da Praia do Molhe, Forte de São João Baptista e o Passeio das Virtudes.

Segredos escondidos

A Igreja de Santa Clara. Neste momento está em obras de recuperação e restauro, mas em breve os turistas nacionais e estrangeiros poderão conhecer este fantástico tesouro, ainda desconhecido inclusivamente por muitos portuenses.

A vista sobre o rio a partir da Muralha Fernandina.

As Sugestões de Fernando Vaz
15 Janeiro, 2019 / ,
  1. Restaurante

Euskalduna.

Nasceu há dois anos. O Euskalduna. Um restaurante fora do espaço e do tempo. Naquele balcão aonde o amor é servido em forma de boletos ou ovas de peixe-galo. Com ervas, raspas e reduções. Texturas e sabores. Elementos. Sucos. Aromas. A xara e a cavala, gamba e pombo parecem saídos de uma fábula. E a rabanada que encerra a refeição é uma metáfora que nos recorda que o que é perfeito não precisa de nada. É através de pequenas insignificâncias que o Vasco viaja em busca da perfeição. Num caldo de frango fumado para temperar uma lula. Numa gema a baixa temperatura para tornar sublime um boleto laminado. Num suco de carabineiro que dá um toque divino a uma açorda de gambas. Na goma dum bago de arroz carolino. Ou naquele pão que o Rui amassou.A repetir para os que lá foram. A descobrir para quem se encanta com a elegânc ia da boa comida e ainda não encontrou o melhor destino para esse fim na mui nobre e invicta cidade do Porto

  1. Passeio

O Porto verde. No Parque. Podia ser no da Cidade. Escutando por entre plátanos e choupos o murmúrio de Nick Cave a empurrar o céu. Ou em Serralves. Percorrer a Clareira das Azinheiras com Richard Serra. Atravessar a Alameda com Claes Oldenburg. Contemplar o céu no Roseiral com Anish Kapoor e o Sky Mirror. Sentir o afago da luz no Lago e no Prado. E acabar na Casa de Chá para como Lou Reed beber sangria no Parque e cantar “Oh It’s such a perfect day, I,m glad I spent it with you”.

 

 

 

  1. Exposição

Miró de regresso a Casa. Em Serralves. Algumas obras da colecção do Estado português encontram quadros da colecção das Fundações Miró e Mapfre.  Uma exposição focada no período que antecedeu a grande retrospectiva de Miró no Grand Palais, em Paris no ano de 1973. Tensão e raiva na morte da pintura. Criação e destruição. Quadros dilacerados. Queimados. Assassinados. Morrer para renascer, para se reinventar. Novos materiais. Ready made art. Sacos, baldes, caixas de vinho. Algumas obras que já não eram exibidas há perto de quarenta anos. E os Sobreteixims que já conhecemos de   “Materialidade e Metamorfose”. “Miró e a Morte da Pintura”. Mais uma grande exposição em Serralves. À sua espera até 3 de Março.

Porto – Dois Locais a Visitar
14 Janeiro, 2019 / ,

PONTO 1: CAPELA FAROL S.MIGUEL O ANJO

O Farol-Capela de São Miguel-O-Anjo foi o primeiro farol construído de raiz em Portugal e uns dos primeiros de todo o mundo. Foi edificado em 1527 na zona da Cantareira, por encomenda de D.Miguel da Silva – Embaixador do Rei junto do Papa, Bispo de Viseu e Abade Comendatário do Mosteiro de Santo Tirso.

As influências vividas e trazidas da sua estadia em Itália inspiraram a construção daquele que é considerado o primeiro edifício renascentista português. Tal como o Panteão de Roma, a capela do farol apresenta uma planta centralizada, onde o espaço sagrado se situa no ponto central do espaço. Originalmente o farol estava embutido nos rochedos do rio Douro mas no final do século XIX foi cercado pela construção do novo molhe.

Ainda que presentemente esteja fechado ao público devido ao seu mau estado de conservação, vale a pena visitar este monumento e o seu contexto. Ver ao fundo a linha do mar, imaginar todo o trânsito que por lá passou ao longo dos séculos e ler de perto a inscrição na parede de pedra que vai resistindo à erosão dos tempos.

O farol aguarda agora obras de requalificação que irão incluir uma exposição própria sobre a história do monumento.

 

 

PONTO 2: MIRADOURO DE SANTA CATARINA

O miradouro de Santa Catarina é, simultaneamente, o largo da Capela de Santa Catarina e Senhora dos Anjos, lá no alto da freguesia de Lordelo do Ouro. O largo de dimensão acolhedora é circundado por um muro de pedra que nos protege da escarpa e nos convida a aproximar.Aqui somos invadidos pela ampla vista para o estuário do rio Douro. Ao alcance está grande parte da margem sul do Douro, o jardim do Calém, a ponte da Arrábida, o verdejante Parque da Pasteleira e o casario até ao mar. Ao debruçarmo-nos sobre o muro podemos contemplar a topografia que desce em socalcos ou espreitar os pátios e jardins das famílias vizinhas.

 

O largo foi recentemente requalificado e a capela encontra-se também em bom estado. Na despojada fachada branca destacam-se as figuras em azulejo de Santa Catarina e da Senhora dos Anjos. A capela abre aos sábados para celebração da missa às 17h. A visita pelo fim-da-tarde permite admirar o bonito pôr do sol.

 

Noite no Porto
10 Janeiro, 2019 / , ,

Necessário é começar esta jornada com a barriga forrada. Criar uma muralha que se dispõe a proteger-nos das agressões que nos estamos prestes a sujeitar. Para

isso, não há melhor que uma francesinha. O local? O Requinte, ainda em Matosinhos, que promete proteger todos aqueles que se aventuram no Porto.

A noite é um crescendo, e, se jantamos em Matosinhos é necessário começar a subir a Avenida da Boavista onde, a meio dela, é obrigatório fazer uma pit stop no Bar 1900, no Foco. O ambiente jovem e a mística que o cobre, são sinais de um futuro promissor. Aí, bebe-se cerveja, minis geladas, ou cocktails brilhantemente preparados pelo seu dono: o Martins, como por todos é conhecido.

No entanto, isto é só um warm-up. Quando começam a soar as dozes badaladas e os sinos reconhecem a viragem do dia, é tempo de nos fazermos ao mar e continuar a subir a Boavista em direção à Baixa do Porto. Aí, o mundo começou. Adega Sports, Adega D.Leonor e o 77 são os pontos de paragem obrigatória. Também, esses locais não são eternos e quando o seu fecho se começa a tornar previsível chega a hora das indecisões: dar um pézinho de dança ou “partir” uma noite. Para quem está disposto a tornar a sua noite épica, na minha opinião, só há um local a ir: Bôite. Espaço refinado, cantos de muitas histórias, onde somos bem servidos e bem recebidos, com a música da voga e um ambiente de loucura mais ou menos generalizado. No entanto, para os menos aventureiros, o Rendez Vous ou Porto Tónico são sempre bons lugares para esticar as pernas. Estes nunca desiludem e são um porto seguro de diversão comedida.

É necessário terminar como começamos, na Rainha da Foz acompanhados de uma francesinha ou de uns “panados à Rainha” e um fino, gargalhadas e recordações de uma noite recente que promete perdurar na nossa memória.

 

Zeca Couceiro da Costa

Hotel Solverde Spa & Wellness Center
28 Dezembro, 2018 / ,

O Hotel Solverde Spa & Wellness Center é uma referência do grande Porto, o único hotel 5 estrelas na região norte do país, localizado em frente à praia. A dois minutos de Espinho e a apenas 15 minutos do Porto, este hotel reúne as condições ideais tanto para o turismo de lazer como de negócios.
Inserido num complexo de 2 hectares e com acesso directo à praia, proporciona uma agradável atmosfera de descontracção brindado pelo aroma a maresia, pela magnífica vista sobre o mar e a paisagem envolvente.
A gastronomia é também um dos pontos de destaque desta unidade hoteleira Solverde, oferecendo um rico e variado leque das mais saborosas iguarias da cozinha tradicional portuguesa.
O Spa & Wellness Center é um dos mais completos e modernos do país, proporcionando a simbiose perfeita entre corpo e mente e dispondo de tratamentos exclusivos e aliados às marcas Thalgo e Terraké.

Alojamento
• 174 Quartos (90% são quartos comunicantes)
• 169 Quartos, sendo 111 com varanda e vista mar
• 5 Suites com varanda e vista mar
• Quartos para pessoas com mobilidade reduzida
• Ar condicionado
• Cofre
• Mini-bar
• Telefone com acesso directo ao exterior
• TV por cabo
• Wi-Fi grátis

Restaurantes | Bares
• Restaurante “O Jardim” com vista panorâmica sobre o mar
e jardins (capacidade para 200 pessoas)
• Coffee Shop (capacidade para 100 pessoas)
• Bar Ponto de Encontro (capacidade 70 lugares)
• Bar Salão de Jogos (capacidade 70 lugares)
• Bar Esplanada – Coberto para fumadores (capacidade 36
lugares)
• Room-service 24 horas / dia

Serviços
• 17 Salas de reunião com luz natural (a maior com 400 m2)
• Wi-Fi grátis
• Serviço de lavandaria
• Parking privativo gratuito (300 viaturas)
• Garagem privada (50 viaturas)
• Ponto de carregamento carros eléctricos:
1 Tesla + 1 Universal
• Business Center
• Heliponto

Lazer
• Piscina exterior com água do mar
• 2 Campos de ténis
• Campo de Padel
• Campo de Futebol
• Campo de Voleibol de Praia
• Mini-Golfe
• Parque Infantil
• Bicicletas

Spa & Wellness Center (1800 m2)
• Ginásio equipado com cardiofitness e musculação
• Piscina interior com água do mar aquecida
• Piscina Dinâmica com água do mar aquecida
• Zona de Saunas (sauna, laconium, banho de vapor de sais,
cabine de gelo e duche sensações)
• 6 Gabinetes de tratamento, floating, duche vichy e
banheira royal
• 2 Salas de relaxamento (uma das quais com Wave Dream)

Entretenimento e Diversão na proximidade
• Casino Espinho e Bingo
• Golfe – Oporto Golf Club e Clube Golfe Miramar
• Actividades Equestres
• Pára-quedismo
• Surf e outros desportos aquáticos e náuticos
• Complexo de Ténis Espinho
• Indoor Karting
• Paintball
• Passadiço marítimo Gaia-Espinho (>15 km de percurso)
• Roteiros gastronómicos
• Cruzeiros turísticos no rio Douro
• Visitas guiadas à cidade do Porto, Castelos, Museus,
Caves de Vinho do Porto
• Marina de Gaia e do Porto
• Actividades turísticas diversas

Museu dos Clérigos
14 Dezembro, 2018 / , ,

O percurso pela Casa da Irmandade (1754-1758), onde se localiza o Museu propicia um regresso ao passado, a experiência de percorrer espaços, que em tempos, foram privados e destinados ao quotidiano da Irmandade dos Clérigos.

Percorrendo a Casa do Despacho, a Sala do Cofre, o Cartório, e a antiga enfermaria, percebe-se que o Museu possui um acervo constituído por bens culturais de valor artístico considerável, do século XIII até ao século XX, que se espraia nas coleções de escultura, pintura, mobiliário e ourivesaria. Esses bens são mensageiros de um património histórico e cultual, cuja função perdida na passagem do tempo, deu lugar à sua musealização.

 

 

A enfermaria da Irmandade dos Clérigos que funcionou até finais do século XIX dedicada ao tratamento dos clérigos doentes, foi convertida num espaço expositivo, e acolhe atualmente a coleção Christus. Esta exposição, concebida a partir da doação de uma coleção por parte de um colecionador particular, desvela a paixão pelo colecionismo, e conta uma história complementada com objetos, outrora de devoção, considerados hoje legados culturais de interesse. São peças de escultura de vulto, pintura e ourivesaria que enaltecem o encontro da arte com a fé.

A exposição, distribuída por três salas – Núcleo da Paixão, Viagem das Formas e Imagens de Cristo – convida a uma viagem pelo tempo e pelo espaço, pela imagem e pela devoção.

O Museu da Irmandade dos Clérigos integra a Rede Portuguesa de Museus, desde 28 de agosto de 2018.