Amor de perdição – a história trágica de um amor impossível

Amor de perdição – a história trágica de um amor impossível

Amor de Perdição é o livro escrito por Camilo Castelo Branco, em 1862, que narra o amor trágico de dois jovens. A obra, baseada em factos reais, foi escrita quando Camilo estava preso e vivia também um amor proibido.

É um dos romances mais famosos da literatura portuguesa. O livro já foi traduzido para vários idiomas e adaptado quatro vezes ao cinema, sendo uma das versões da autoria do famoso realizador Manoel de Oliveira. Amor de Perdição é também o nome do largo onde fica o Centro Português de Fotografia, antiga Cadeia da Relação do Porto. Foi nesse edifício que Camilo Castelo Branco, preso enquanto aguardava julgamento por adultério, escreveu a sua obra mais famosa.  O nome do largo é, assim, uma homenagem a esse famoso livro.

Camilo Castelo Branco tinha sido acusado de adultério: apaixonou-se por Ana Plácido; o marido dela descobriu e processou os dois amantes por adultério. Foram ambos detidos, julgados e mais tarde absolvidos. Viriam a casar, mas não viveram felizes para sempre. Camilo suicidou-se em 1890 e os últimos anos da sua vida ficaram marcados pela cegueira e pela doença. Enquanto estrava na prisão, o escritor verificou nos registos da cadeia, pormenores de uma história que lhe tinha sido contada por familiares: a do seu tio Simão Botelho, preso e condenado ao degredo por ter assassinado um rival num relacionamento amoroso.

Foi a partir destes factos que Camilo escreveu a história de Simão e Teresa, filhos de famílias rivais de Viseu. Uma paixão proibida, que faz lembrar a de Romeu e Julieta, e cujo desfecho também não foi feliz. Teresa deveria casar com um primo, Baltasar Coutinho, mas o seu amor por Simão levou-a a rejeitar o pretendente. Magoado, Baltasar convenceu o pai da amada a mandá-la para o Convento de Monchique, no Porto. Por curiosidade, referira-se que o edifício do convento, embora muito degradado, ainda existe.

Desesperado, Simão esperou o rival à saída da cidade de Viseu e matou-o a tiro. Entregou-se às autoridades e ficou preso na Cadeia da Relação do Porto, até ser condenado ao degredo na Índia. No caminho, e ao passar de barco junto ao Convento, ainda avistou o vulto da sua amada, que viria a morrer instantes depois, consumida pela tristeza. Ao saber da morte de Teresa, Simão morreu também. O tio de Camilo não teve um final tão trágico, já que chegou ao degredo e por lá viveu. Mas a história de um amor trágico ficou sempre perpetuada nas páginas do livro.

 

 

 

(Visited 647 times, 1 visits today)
3 Dezembro, 2019 / ,
Comments

Comments are closed here.

Publicidade
 Instagram #heyporto
No images found!
Try some other hashtag or username
Subscreva a nossa newsletter!