Gastronomia

Marisqueira do Porto – Da frescura do marisco ao conforto de uma francesinha
12 Novembro, 2017 /

A qualidade e a tradição de bem servir deste restaurante são já bem conhecidas dos portuenses. O marisco de topo e as francesinhas são duas das especialidades mais apreciadas.

A Marisqueira do Porto é uma das mais antigas marisqueiras da cidade. Anteriormente conhecido como Gambamar, este restaurante mudou de nome, mas não de conceito, mantendo a qualidade no serviço e nos produtos selecionados.

Situada na zona do Campo Alegre, a meio caminho entre a Baixa e a Boavista, a Marisqueira do Porto é o local perfeito para saborear a gastronomia tradicional portuguesa.

 

O marisco, frio ou quente, é a especialidade desta casa que aposta na frescura e na qualidade para garantir a satisfação dos seus clientes. A tradicional francesinha é igualmente saborosa e ideal para refeições mais aconchegantes.

Da ementa destacam-se também o misto premium de marisco grelhado, bacalhau com broa, arroz de marisco, entrecôte na brasa, entre outros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rua do Campo Alegre, 110

Porto

Telefone:00351 226 097 014

info@marisqueiradoporto.pt

Parque privado grátis

Horário: de 2ª feira a Sábado: 11h30 à 01h30

Encerra ao Domingo

1715 Sabores tradicionais num espaço com história
22 Agosto, 2017 /

A comida tradicional portuguesa num espaço acolhedor, cujo nome foi inspirado na data de construção da capela anexa.

O Restaurante 1715 está situado a apenas oito quilómetros do Porto e resultou do sonho de recuperação de uma capela e de um solar, locais que costumavam albergar peregrinos. Hoje em dia este local, com espaço para 300 pessoas e parque de estacionamento privativo, alberga um restaurante com salas amplas e uma decoração mistura de forma harmoniosa o clássico e o moderno.

 

 

O Bacalhau com Migas, o Arroz de Tamboril, o Polvo Assado no Forno ou o Javali na Púcara com Castanhas são alguns dos pratos em destaque, mas se quiser provar várias especialidades portuguesas pode experimentar diariamente o buffet.

 

Informações:

Rua Prof. Ferreira da Silva, Nº321, Argoncilhe

GPS: 41o 01’ 20.63”N – 8o 33’ 15.83”W

Telefone: 00351 22 744 32 48

Horário: Todos os dias, das 12h00 às 15h30 e das 19h30 às 23h00

Guarany
14 Março, 2017 /

Inaugurado em 1933, o Guarany é um dos espaços míticos da cidade. Localizado na Avenida dos Aliados, é o local ideal para uma refeição sofisticada a qualquer hora do dia.

O Guarany surgiu na era dourada dos cafés portuenses, quando estes eram locais de convívio e de tertúlias, mas também ponto de encontro de homens de negócios. É dessa época o painel em alto-relevo com a representação de um índio da tribo Guarany, que remete para o próprio nome do café.

Em 2003 o espaço foi recuperado, tendo sido colocados em destaque dois painéis da pintora Graça Morais, “Os Senhores da Amazónia”.

Graças à sua localização privilegiada e à qualidade do seu serviço, é um local de visita obrigatória, quer seja para um pequeno-almoço requintado, quer para um almoço ou jantar

Avenida dos Aliados, 85/89, Porto

Aberto todos os dias das 9h00 às 24h00

Telefone: (351) 223 321 272

Bacalhau à Gomes de Sá
14 Março, 2017 /

Um prato inventado no Porto

O prato tem o nome do seu inventor e a fama desta iguaria portuense já ultrapassou fronteiras.

A receita do Bacalhau à Gomes de Sá foi inventada por  José Luís Gomes de Sá Júnior, (1851-1926), um negociante de bacalhau que tinha um armazém na Rua do Muro dos Bacalhoeiros, na Ribeira do Porto. Vendeu-a a um amigo, que era cozinheiro do Restaurante Lisbonense, na Travessa dos Congregados. Desde então a fama deste prato não parou de crescer e ainda hoje faz parte da ementa de vários restaurantes da cidade.

De acordo com a receita original, o bacalhau deve ser cortado em pequenas lascas, previamente amaciadas em leite durante cerca hora e meia a 2 horas. Depois deve ser cozinhado com azeite, alho e cebola e acompanhado com azeitonas pretas, salsa e ovos cozidos.

A fama deste prato chegou a outros países. No Brasil, é conhecido como “Bacalhau à Porto”. Em 1988, e para homenagear o criador desta iguaria, o Cônsul do Brasil no Porto mandou colocar uma placa na parede da casa onde este nasceu, na Rua do Muro dos Bacalhoeiros.

Onde comer: Restaurante Abadia, Adega São Nicolau, Porto.come,

Francesinha
2 Março, 2017 /

A inspiração veio do croque-monsieur, mas o molho inventado num restaurante do Porto e os ingredientes portugueses deram-lhe um sabor único. É um dos pratos típicos do Porto, ideal para os dias e noites mais frios. Eis uma receita simples para fazer quando regressar a casa e sentir saudades do Porto.

Molho:

1 Cerveja

1 cubo de Caldo de Carne

1 Folha de Louro

1 Colher de sopa de margarina

1 Cálice de brandy ou vinho do porto

1 Colher de sopa de farinha de amido de milho

2 Colheres de sopa de polpa de tomate

1 dl de leite

Piripiri q.b.

Modo de preparação

Dissolva bem a farinha com o leite e adicione os restantes ingredientes. Com a varinha mágica triture o preparado. Leve ao lume até ferver e engrossar um pouco mexendo sempre para não pegar.

Sande:

4 fatias de Pão de forma (sem côdea)

2 bifes

2 salsichas  

2 linguiças

2 fatias de queijo

2 fatias de fiambre

Tempere as bifanas com sal e pimenta e grelhe-as. Grelhe também a salsicha e a linguiça. Torre ligeiramente as fatias de pão de forma. Num prato que possa ir ao forno coloque 1 fatia de pão de forma, o bife, sobre esta a salsicha ao meio no comprimento e na largura, a fatia de fiambre e a linguiça cortada como a salsicha. Tape com a outra fatia de pão de forma e coloque sobre esta 1 fatia de queijo. Depois de montadas as francesinhas, coloque sobre elas o molho bem quente e leve ao forno previamente aquecido para derreter o queijo.