Atualidade

Sobrinho Simões – Um portuense que é o motivo de orgulho para a cidade
5 Dezembro, 2017 / ,

Em 2015 a revista The Patologist elegeu-o como o patologista mais influente do mundo. Manuel Sobrinho Simões é um apaixonado pelo Porto e um dos grandes motivos de orgulho da cidade onde nasceu em 1947.

É mundialmente reconhecido pelo trabalho desenvolvido na área do cancro da tiroide, mas também pelas escolas de Patologia que ajudou a fundar um pouco por todo o mundo. Fundador do IPATIMUP  (Instituto de Patologia e Imunologia Molecular e Celular da Universidade do Porto) – uma unidade de investigação reconhecida internacionalmente e que efetua anualmente centenas de consultas de diagnóstico para hospitais e institutos de oncologia da Europa e da América – é um verdadeiro workaholic, mas sempre atento e preocupado com as grandes questões do mundo que o rodeia.

Nascido numa família ligada à Medicina: o bisavô e o avô tinham sido médicos e o pai professor e investigador na área da Bioquímica. Nasceu em Paranhos, estudou na zona das Antas e no Liceu Alexandre Herculano, antes de se matricular no curso de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Tal como já tinha acontecido no liceu, o seu percurso académico foi sempre pautado por excelentes classificações, tendo conquistado vários prémios de mérito.

Adepto do FC Porto, foi também praticante de hóquei no Estrela e Vigorosa Sport e campeão universitário de pingue-pongue.

Foi na Universidade do Porto que ganhou o gosto pela Patologia. O amor pelas viagens vinha já desde juventude, graças ao dinheiro dos prémios de mérito académico e alguma ajuda do avô. Já depois de casado, fez o pós-doutoramento em Oslo, na Noruega e seria a partir desta experiência internacional que viria a tornar-se conhecido internacionalmente.

Além de colaborar com universidades e hospitais de todo o mundo, é autor e coautor de centenas de artigos. Aos 70 anos, continua a ter um ritmo intenso de trabalho, mas sem descurar os netos e a restante família, com quem gosta de passar os tempos livres. Em criança brincava no jardim de Arca d’Água, mas atualmente prefere os passeios de bicicleta no Parque da Cidade.

 

 

Vinho do Porto: uma tradição de Natal
5 Dezembro, 2017 / ,

Em Portugal o Natal é sempre um bom pretexto para beber, comprar ou oferecer Vinho do Porto. Visitar as Caves do Vinho do Porto é a melhor forma de ter, na mesa ou na lista dos presentes de Natal, os melhores vinhos.

A diversidade é grande e cada tipo de Vinho do Porto se adequa a pratos e momentos específicos, pelo que o melhor é conhecer bem este vinho, porque só assim será capaz de o apreciar em toda a sua plenitude.

O melhor local para ficar a saber tudo sobre o Vinho do Porto são as caves, situadas em Vila Nova de Gaia. Era aí que, até ao século passado, atracavam os barcos rabelos, vindos das quintas do Douro com pipas de vinho, que seria depois armazenado nestes enormes armazéns situados junto ao rio, onde a luz e a humidade ajudam a que o sabor, a cor e a textura sejam apurados.

Hoje, as caves são locais quase obrigatórios para quem visita a cidade do Porto. Além de ficar a conhecer toda a história do Vinho do Porto e o percurso feito pelas uvas desde o Douro até ao momento em que chegam ao seu copo, terá também a oportunidade de provar e de comprar vários tipos de vinho.

A nossa sugestão de visita vai para as caves Ferreira e as Caves Sandeman.

 

CELLARS/ CAVES /BODEGAS

Ferreira

 

Avenida Ramos Pinto, 70, Vila Nova de Gaia

Horário: 10h00 – 12h30 / 14h00 – 18h00

 

 

 

 

Visita Clássica | Preço 10€ pax:
Visita às Caves, incluindo a Sala dos Pertences da Dona Antónia e o Museu, com prova de dois Vinhos do Porto.

Visita Dona Antónia | Preço 20€ pax:
Visita para pequenos grupos, com prova alargada e uma seleção de 5 Vinhos do Porto, num espaço reservado.

Visita Casa Ferreirinha | Preço 14€ pax:
Visita às Caves, com uma prova de três Vinhos do Douro DOP Casa Ferreirinha, produtora do famoso Barca Velha.

Sandeman

 

Largo Miguel Bombarda, 3, Vila Nova de Gaia

Horário:
Todos os dias | 09h30 – 12h30 / 14h00 – 17h30

 

 

 

 

Visita Clássica | Preço 10€ pax:
Visita guiada com prova de dois Vinhos do Porto Reserva

Visita 1790 | Preço 20€ pax:
Uma visita guiada que tem início no Museu Sandeman e finaliza com uma prova mais alargada de Vinhos do Porto, no espaço 1790

Visita “100 Anos de Tawnies  Velhos” | Preço 40€ pax:
Uma visita para descobrir a longa tradição da Sandeman no envelhecimento e blend de Vinhos do Porto. No final, uma prova compreensiva de um século de Tawnies – prova de 10, 20, 30 e 40 anos – num espaço reservado e intimista que também alberga a Coleção de Garrafas Antigas Sandeman.

 

Visita Premium | Preço 13€ pax:
Uma visita guiada pelas Caves Sandeman, com prova de três vinhos de categoria superior (Branco, Ruby e Tawny).

Pontos de interesse:
Coleção de garrafas Sandeman – mais de 60 exemplares de garrafas inglesas feitas à mão dos séculos XVII e XVIII.

Um mês a celebrar o Natal
4 Dezembro, 2017 / ,

Até 7 de janeiro, o Porto ilumina-se com as cores de Natal. De uma árvore gigante até às pistas de gelo, há diversão para toda a família.
As iluminações natalícias são já uma longa tradição na cidade do Porto, mas este ano chegam ainda mais longe, levando a magia da época festiva até outras ruas. Quase dois milhões de micro lâmpadas, néon e LED, em branco, dourado e azul vão fazer brilhar as ruas do Porto e servir de cenário às compras de Natal na Baixa e na Boavista, mas também em locais como a zona da estação de Campanhã, Bonfim, Marquês, Carvalhido e Foz.
O início deste período natalício tem lugar a 1 de dezembro, ao anoitecer, altura em que é ligada a árvore gigante colocada em frente ao edifício da Câmara Municipal, bem como as iluminações em todas as ruas. Nos Aliados o momento é assinalado com um concerto e com fogo-de-artifício. Mas quem perder este momento tem ainda muito para ver até ao dia 7 de janeiro.
Durante este período estarão também a funcionar duas pistas de gelo natural: uma na Praça de D. João I e outra na Praça de Mouzinho de Albuquerque (Rotunda da Boavista). Aqui estão também outros divertimentos para todas as idades.
E no dia 31 de Dezembro, como é habitual, a festa de Passagem de Ano tem como ponto central os Aliados, mas estende-se a toda a cidade.

Rua Sá da Bandeira
7 Novembro, 2017 / , , ,

Hoje é uma das ruas mais centrais e movimentadas do Porto, mas nasceu num local anteriormente ocupado por terrenos agrícolas, vielas e até cocheiras.

O próprio nome da rua tem uma história curiosa: Bernardo Sá Nogueira de Figueiredo era marechal fiel às tropas liberais. Durante o Cerco do Porto, na guerra travada entre Liberais e Absolutistas, o braço onde transportava a bandeira liberal foi-lhe amputado pelo inimigo. Passaria a ser conhecido como Sá da Bandeira. Mais tarde assumiria cargos políticos de relevo, chegando mesmo a ministro. Seria também distinguido com os títulos de barão, visconde e marquês.

A Rua Sá da Bandeira só surgiu no século XIX: até então, esta era ainda uma zona com quintas e terrenos de cultivo, muitos deles pertencentes a D. Antónia Adelaide Ferreira (A Ferreirinha), um dos nomes mais importantes na história do Vinho do Porto. A zona tinha também pequenas vielas, que foram quase totalmente demolidas.

A rua começou a ser construída em 1836, mas as primeiras casas só surgiriam sete anos depois. Em 1875 foi prolongada até à Rua Formosa e a continuação até à Rua de Fernandes Tomás (1904) obrigou à demolição das cocheiras onde estavam os cavalos que nessa altura puxavam os transportes públicos da época. Mais tarde, a rua viria a ser prolongada até para Sul e posteriormente para Norte, até ganhar a forma atual.

 

Pontos de Interesse

 

Teatro Sá da Bandeira

Abriu em 1870, mas antes já tinham existido no mesmo local estruturas mais rudimentares destinadas a espetáculos. Por ali passou, em1895, Sarah Bernhardt e foi também neste local que foram exibidos os primeiros filmes feitos em Portugal. Terá sido o primeiro teatro do Porto a usar iluminação elétrica.

 

 

Mercado do Bolhão

O mercado mais tradicional da cidade foi construído em cima de uma bolha de água (daí o seu nome). Datado de 1850, é um belo exemplo da arquitetura neoclássica, mas é o seu interior, onde a alma Porto está mais presente. Os produtos frescos, a simpatia dos vendedores e a frescura dos produtos tradicionais portugueses merecem uma visita.

 

 

Palácio do Comércio

Edifício de habitação, comércio e escritórios, que surpreende pela sua imponência. Vale a pena prestar atenção às esculturas de cavalos que estão no topo, bem como a toda a sua arquitetura. Foi construído nos anos 40 pelo casal de arquitetos David Moreira da Silva e Maria José Marques da Silva, filha de José Marques da Silva, um dos arquitetos mais importantes da cidade.

 

 

Antigo café A Brasileira

Atualmente está em obras para se transformar num hotel, mas este é um edifício com história. Em 1903, Adriano Teles, que tinha sido emigrante no Brasil, abriu este café para dar a conhecer a sua própria marca de café. Durante as décadas de 50 e 60 era local habitual de tertúlias.

Erasmus
6 Novembro, 2017 /

ESN Porto ajuda estudantes a descobrir a cidade

Fundada em 1991, a Erasmus Student Network Porto (ESN Porto) dá a conhecer, aos estudantes estrangeiros, Portugal e a sua cultura.

A ESN Porto recebe atualmente cerca de 3000 estudantes estrangeiros, fazendo com que aproveitem ao máximo não só o tempo em que estão noutro país, como também a cultura do local onde estão a estudar e a viver.

A atividade da ESN está organizada em oito departamentos, promovendo, por exemplo, eventos semanais, que podem ser torneios desportivos, saídas à noite ou até workshops de cozinha tradicional. São também organizadas viagens para que os estudantes estrangeiros possam ficar a conhecer alguns dos mais bonitos locais de Portugal.

As festas temáticas são outra das formas de integração e de convívio associação, que trabalha também com uma vasta rede de parceiros, para que os portadores do ESNCard possam usufruir de descontos em viagens, tratamentos dentários, restaurantes, etc.

A ESN Porto promove igualmente o voluntariado entre os seus membros, abrangendo três áreas: solidariedade social, ambiente e educação.

Contactos:

Praça Gomes Teixeira SN
Reitoria da Universidade do Porto
Sala 500 – Porto

facebook.com/ErasmusStudentNetworkPorto/

http://www.esnporto.org/

Voluntariado universitário
6 Novembro, 2017 /

A VO.U. – Associação de Voluntariado Universitário é uma organização não lucrativa fundada em 2008 por um grupo de jovens com uma enorme vontade de mudar o mundo.

Acreditamos no conceito de Educação Superior Solidária, trabalhando na promoção da tolerância, igualdade e reciprocidade entre todos os membros da nossa sociedade. Assim, os nossos voluntários agem de forma multidisciplinar: das crianças aos idosos; dos animais ao seu habitat natural; da dança à saúde pública.

Curioso? Junta-te a nós neste grande aventura e aspira a voos mais altos! Lá no fundo podes ser um guerreiro, um génio, um amante da natureza, uma alma pacífica ou até um beijoqueiro compulsivo. Tudo isso é fantástico e o que interessa é a tua coragem para ajudar a tornar real esta mudança!

Eu VO.U., e tu?

Contactos:

Rua Jorge Viterbo Ferreira, nº 228; Porto
Mais informações em http://vou.pt ou através do e-mail geral@vou.pt.

Ribeira – o mais famoso postal do Porto
17 Outubro, 2017 / ,

A paisagem é inconfundível e mundialmente famosa devido à sua beleza e singularidade. O casario e as ruas estreitas enquadram o Rio Douro, onde os barcos rabelos e as pontes ajudam a compor um quadro colorido e inesquecível.

A Ribeira é uma das zonas mais famosas da cidade e local obrigatório para quem quer conhecer a cidade e guardar, em fotografia ou vídeo, uma paisagem que permanece na memória. Na verdade, a história do Porto está intrinsecamente ligada à Ribeira, pois foi a partir daqui que foi sendo construída não só a cidade, como a própria alma dos portuenses.

O Rio Douro foi, desde tempos remotos, um local de comércio e de intercâmbio de culturas; os comerciantes de várias partes do mundo deixavam aqui as suas mercadorias, levando pelo mundo foram produtos como o Vinho do Porto, que ajudariam a dar fama e riqueza a esta cidade única.

A zona da Ribeira está incluída na classificação de Património da Humanidade atribuída pela UNESCO. Percorrer as suas ruas estreitas, contemplar o rio ou deixar-se encantar pelos seus monumentos e gastronomia são atividades “obrigatórias” para que visita a cidade.

Pontos de interesse:

Praça da Ribeira: O chafariz foi reconstruído após descobertas arqueológicas realizadas nos anos 80. Nessa altura foi também instalado na praça o Cubo da Ribeira, uma escultura da autoria de José Rodrigues. A estátua de São João Baptista, feita por João Cutileiro, foi colocada no chafariz no ano 2000. Com uma localização invejável e diversas esplanadas, é o local ideal para parar um pouco e desfrutar da paisagem.

Capela da Senhora do Ó: Edifício datado do séc. XVII, remodelado no séc. XIX após a destruição ocorrida durante as lutas liberais. No interior, destaca-se um retábulo em talha de inícios do séc. XVIII e a imagem da Senhora do Ó, proveniente da capela da Porta da Ribeira, que foi demolida em 1821.

Pilares da Ponte Pênsil: A ponte abriu ao público em 1843, respondendo assim à necessidade de uma travessia permanente entre o Porto e Gaia. Existiu apenas durante 44 anos, já que a população não confiava na sua segurança. Foi substituída pela Ponte de Luiz I, mas ainda restam dois pilares em pedra, em forma de obelisco.

Alminhas da Ponte: um baixo-relevo que recorda um dos momentos mais trágicos da história do Porto. Durante as Invasões Francesas, centenas de pessoas tentaram fugir para a outra margem percorrendo uma ponte feita de barcos. A ponte afundou com o peso e ainda hoje são colocadas no local velas em memória das muitas vítimas desta tragédia.

Postigo do Carvão: É o único que resta das 18 portas e postigos que existiam nas Muralhas Fernandinas, construídas no séc. XIV em redor da cidade do Porto. Fazia a ligação da Rua da Fonte Taurina ao Cais da Ribeira, onde atracavam os barcos no rio Douro.

 

Cadeia da Relação vai ser Monumento Nacional
13 Março, 2017 /

Cadeia da Relação vai ser Monumento Nacional

O histórico edifício, que desde 2001 é a casa do Centro Português de Fotografia, vai ser classificado como Monumento Nacional.

A construção foi concluída em 1796 e desde então, o imponente edifício, situado em pleno Centro Histórico, bem perto da Torre dos Clérigos, já teve várias utilizações, tendo sido um tribunal, mas também uma prisão.

Foi nesta cadeia que o famoso escritor português Camilo Castelo Branco escreveu a sua obra mais famosa, “Amor de Perdição”, em 1861. O escritor cumpria pena por adultério e baseou-se na história do seu tio, Simão Botelho, que também ali tinha estado preso e que, tal como as personagens do livro, tinha vivido uma história de amor trágica e proibida, que o levaria à morte.

Pela cadeia passou também Zé do Telhado, uma espécie de Robin Hood do século XIX, que, segundo a lenda, roubava aos ricos para dar aos pobres.

A Cadeia da Relação foi reabilitada, num projeto da autoria dos arquitetos Eduardo Souto Moura e Humberto Vieira.

Porto.
3 Março, 2017 /

O Porto é um dos destinos turísticos mais antigos da Europa. O seu rico património monumental e artístico, o vinho do porto, os espaços de lazer ao ar livre e a vida cultural são apenas algumas das razões para visitar esta cidade.

A qualquer hora do dia, 365 dias por ano, o Porto tem um encanto especial para quem visita a cidade pela primeira vez, tal como para aqueles que voltam para uma segunda visita, para descobrir uma cidade que é moderna e autêntica. Em 1996, o centro histórico do Porto foi classificado pela UNESCO como Património Mundial.

A cidade desenvolveu-se ao longo da margem do rio e do mar, criando um “enorme casario” como canta Rui Veloso numa das músicas que referem a cidade.

Descobrir o Porto significa encontrar percorrer as suas ruas e ser surpreendido em cada canto e esquina da cidade. Embora mantendo o seu carácter hospitaleiro e conservador, a cidade é, ao mesmo tempo, contemporânea. Essa caraterística pode ser vista nas suas ruas, na arquitetura, nos monumentos e museus, nas áreas de lazer e esplanadas e claro no seu comércio vibrante que dá vida a toda uma cidade.

São vários os eventos que animam a cidade, desde os culturais, desportivos e claro culminando na grande festa da cidade o ‘São João’.

Visitar o porto é encontrar-se com a história da cidade e acima de tudo usufruir da hospitalidade das suas gentes. Que os receberão de braços abertos, acolhendo-os como fazendo parte desta enorme cidade.